5 de outubro de 2009

Quando toquei o meu ser pela primeira vez, utilizando o processo Ho'oponopono.



Lindo e comovente relato do Gustavo... Esse tipo de depoimento tem que se propagar em nosso mundo... Sou grata, sou grata, sou grata. Lena

Quando toquei o meu ser pela primeira vez, utilizando o processo Ho'oponopono.

Goiânia, 28 de setembro de 2009.


Fui um garoto rebelde. Guiado pela raiva e consequente tortura pessoal diante a tristeza e miséria do mundo.

Deixei toda essa miséria e tristeza me invadir, como se fossem as únicas coisas que realmente importassem.

Não entendia porque nem como.

Sentia que algo deveria ser curado neste mundo.

Senti que havia algo muito doente. E assim sendo, passei a ser doente. Viciado em drogas, especialmente álcool e cigarro que são drogas de fácil acesso, passei a enfrentar uma série de dificuldades que resultaram em um diagnóstico precoce de Esquizofrenia.

Diante da doença me senti impotente. Mas por outro lado abraçado por alguma graça divina que se expressou mais fortemente no meu tratamento psiquiátrico e posteriormente psicoterapeutico.

Este último veio a se desenvolver mais tarde com o nascimento de minha filha.

Usei no "combate" à doença: acunpuntura e shiatsu; core energetics; constelação famililar; yoga e mais recentemente o processo conhecido como Ho'oponopono.

Francamente divulgado na internet pelo site: www.hooponopono.com.br o processo consiste em abraçar suas dores e os reflexos delas no mundo externo. Trasmutando seu ser, você "alivia" essas dores no mundo externo, tanto físico como espiritual.

O poder do processo é desconhecido como um todo. Mas sua linguagem é atrativa e leva a estados de êxtase em relação a si e ao Universo externo.

Ainda sou novo na prática. Mas gostaria de registrar e futuramente compartilhar esta experiência única.

O garoto rebelde de que falei é um espelho do amor ao próximo e da dificuldade de se trabalhar esse amor.

Assim como o amor liberta, ele pode prender.

Sim. Essa assertiva é bem conhecida.

No caso, o amor imaturo do jovem pelo mundo representa a fuga de si mesmo. O jovem aponta nas mazelas alheias sua insatisfação consigo mesmo.

Na medida que enxerga sua impotência adoece.

Se a doença pode matar, ela pode transformar um ser pela cura.

No caso a cura passa pela adoção de si mesmo.

Durante a prática do Ho'oponopono adotei a visão de tratamento deste "jovem" interno.

E lhe disse: "EU TE AMO".

Em seguida a imagem dele se acalmou e o abracei.

E lhe disse: "SINTO MUITO".

E chorei com ele...

E lhe disse: "EU TE PERDOÔ".

Libertando nossas almas de qualquer rancor recíproco.

Por fim: "SOU GRATO!"

Porque aprendi muito com este garoto e espero que o aprendizado seja recíproco. Ele, o garoto, comigo.

Visitem o site e entenderão melhor!

Graças a todos!

Amor infinto!



Lena Rodriguez
www.cuidebemdevoce.com


2 comentários:

  1. Participo do "Somos todos um"
    E estoou adorando!!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Lindo , Lindo !!!


    Sou grata !!!! Sou grata !!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...